Bio

Alexandre Pontara é diretor teatral, ator, roteirista, escritor, dramaturgo, poeta e produtor.

Em 2018, lançou o manifesto transmídia Poética em Transe. Foi um dos produtores da 1ª edição do Festival Audiovisual FICA.VC, em 2017 no Rio de Janeiro. Entre 2008 e 2011, foi crítico teatral do Guia da Semana.

Como diretor teatral, o foco de sua pesquisa está no trabalho investigativo sobre a interferência da linguagem audiovisual no espaço cênico.

A Cidade das Mariposas, encenada em 2011, e publicada em 2015, pela Giostri Editora,  marca sua estreia como dramaturgo e diretor teatral. Em 2013, adaptou e dirigiu Fausto Zero de Goethe e assinou a Direção Artística da Ocupação Primus Arte Movimento do Teatro Glauce Rocha no Rio de Janeiro.

É autor dos textos inéditos Doze Horas para o Fim do Mundo, Paraíso Profano, O Processo Blake,  Entre Irmãos, As Últimas Horas, Man Machine 2.0 e Relatos em Transe, das antologias poéticas digitais, publicadas em 2015,  “Poemas Mundanos”, “Poesia Urbana” e “Sombras” e dos roteiros “Até o Fim da Noite” e “Doze horas para o Fim do Mundo”.

Alexandre Pontara
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube
© 2015-2019 "Argumento e Prosa".
Site oficial de Alexandre Pontara.
Todos os direitos reservados.
 
Site desenvolvido por
Argumento Cultural Produções.

é ator, diretor, escritor, poeta, roteirista, dramaturgo e produtor cultural.

Ocupação PAM

08 meses, 17.000 espectadores, 23 espetáculos, muitas cias cariocas e paulistas, 20 atividades de fomento, 13 oficinas, 2 processos de pesquisa de linguagem e muita pesquisa cênica, formação artística e formação de plateia!

 

Em 2013, a Primus Cia de Atores foi a vencedora do Edital de Ocupação do Teatro Glauce Rocha no Rio de Janeiro.

 

A OCUPAÇÃO PAM, projeto escrito e idealizado por Alexandre Pontara, que assinou a curadoria e a direção artística do PAM (Primus Arte Movimento) ocupou o Teatro Glauce Rocha no período de abril a 1º de dezembro.

 

Na realização deste projeto, juntaram-se a Primus um pool de jovens produtores formado pela Fluxos Produções, Thiago Greco, Carla Chueke, Robson Agra e Roberto Padula.

 

Além da seleção de espetáculos, oficinas nacionais e internacionais e exposições de artes visuais, o projeto foi um grande fomentador de cultura levando ao palco do Glauce os projetos Studio Primus - Por dentro da cena com apresentação de Amir Haddad, Fluxos de Cena e Fluxorama. Durante a Ocupação PAM, a Primus desenvolveu e estreou o espetáculo Fausto Zero e ministrou as oficinas Drama Training, O Ator Metafísico e Arquétipos no Teatro. Também foi realizada a Exposição Tempo de Ver Lua - sobre a vida de Mário Lago - com curadoria de Claudia Wer.

1/3
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now